institucional educacao conservacao ecoacao cultura ecoligado


TATU-BOLA (Tolypeutes tricinctus)


tatu

Características – também conhecido como tatuapara, sua couraça tem apenas 3 a 4 cintas. Cabeça revestida por placas especiais e couraça que cobre o corpo em cima e pelos lados, compondo-se de pequenas plçacas justapostas em mosaicos. A barriga é nua.
Habitat – campos
Ocorrência – do nordeste ao sul do Brasil, estendendo-se para o oeste, alcançando a Argentina.
Hábitos – em ocasião de perigo, se encolhe todo em sua couraça, tomando perfeito aspecto de bola. Passam o dia em tocas cavadas. À noite é o período de maior atividade, quando sai à procura de alimentos.
Alimentação – vermes e larvas, formigas e cupins.
Reprodução – de 4 a 6 crias
Ameaças – carne apreciada, por isso muito caçado.



TATU-CANASTRA (Priodontes giganteus)

Características – é a maior espécie viva de tatu no mundo, chegando a medir entre 0,75 a 1 m de cabeça e corpo, cauda de até 50 cm. O adulto pesa cerca de 60 Kg. Tem de 11 a 13 cintas móveis na parte mediana do corpo
Habitat – campos
Ocorrência – Brasil Central
Hábitos - fossador notável, abre covas para se alojar e revolver o solo. Anda em pequenos bandos, nas orlas das matas, mas só circulando à noite.
Alimentação – vermes, insetos, larvas, aranhas, cobras e principalmente cupins.
Ameaças – espécie em extinção pela destruição do habitat e caça.



TATU GALINHA (Dasypus novemcinctus)


Características – conhecido também como tatu verdadeiro. Tem de 7 a 9 cintas e pesa entre 4 a 8 Kg. Corpo recoberto por armadura de faixas articuladas, compostas por placa ósseas semelhantes a escamas. Cabeça e cauda também são protegidas por “escamas” superpostas. Focinho pontudo.
Habitat – campos e florestas
Ocorrência – em todo o Brasil
Hábitos – escava muito bem e rapidamente. Constrói várias tocas, porém usa somente uma. Esses abrigos chegam a medir 7 m de extensão e, na maioria das vezes são construídos na beira de rios.
Alimentação – insetos, pequenos vertebrados, raízes, minhocas, lesmas e, eventualmente, carniça.
Ameaças e utilização – carne muito apreciada, por isso caçado indiscriminadamente.



UACARI BRANCO (Cacajao calvus rubicundus)


Características – corpo e cabeça medem até 60 cm e cauda até 15 cm. Cabeça desprovida de pelos com face avermelhada, mas com barbas dos lados. Pelagem branco-amarelada ou acinzentada e tons castanhos na parte anterior do corpo.
Habitat – Floresta
Ocorrência – Região Amazônica
Hábitos – vive em pequenos bandos nas matas ribeirinhas, nas partes mais altas das árvores, raramente descendo ao chão.
Alimentação – frutas, sementes, brotos e animais, tais como pássaros e lagartos.
Ameaças – animal em extinção.

uacari


VEADO CAMPEIRO (Ozotoceros bezoarticus)


veado

Características – apesar do tamanho, comparável ao de um burrico, ele quase não dispõe de outra defesa, alem da agilidade de suas pernas finas e nervosas. Caçado diariamente, sobre tudo pelo homem, o Veado Campeiro passa boa parte de sua vida correndo para sobreviver. Os chifres são pouco mais que ornamento, armas inúteis para uma presa tão tímida, com um inimigo tão decidido. Possuem chifres de três pontas que podem alcançar 30cm de comprimento; sua galhada é composta de dois chifres: um galho cuja ponta é voltada para frente e o outro com duas pontas, para trás. Esta composição começa a aparecer após o terceiro ano de vida do animal. São animais extremamente ágeis, podendo correr a 70 km/h e pular obstáculos sem diminuir a velocidade. Os saltos são suficientes para cruzar pequenos rios; quando não, nadam com facilidade. Comprimento do corpo e cabeça de 1,1 a 1,3 m, cauda de 10 a 15 cm. Altura de 70 a 75 cm. Peso de 30 a 40 Kg.
Habitat – campos. Prefere os descampados secos e não entra nas matas.
Ocorrência – Oeste e Sul do Brasil
Hábitos - hábitos diurnos e, principalmente, noturnos. É comum vê-los pastando junto ao gado nas fazendas. Passa a maior parte do tempo em campo aberto.  É  uma  condição  de  sobrevivência,  pois  assim  pode correr

livremente, quando algum perigo surgir. Quando atacado, (pela onça por exemplo que é seu maior inimigo) o veado começa a fuga com um salto para o lado; com isso, a fera é obrigada a desviar-se e perder uma preciosa fração de segundo. Mas, na maior parte das vezes, o veado não tem tempo de fazer valerem seu fôlego e sua velocidade. Quando a onça da o bote de perto, a morte é instantânea. É encontrado mais comumente sozinho ou em grupos de até 3 animais; porém, já foram encontrados grupos de até 11 indivíduos. A hierarquia social é determinada através de disputas nas quais os machos empurram seus adversários com os chifres, numa prova de força. Esta disputa não tem por objetivo perfurar o oponente e o dano mais comum é a quebra de algumas pontas; porém podem ocorrer casos de perfuração.
Alimentação – herbívoro. Alimentam-se essencialmente de gramíneas, e desprezam os capins mais adequados para o gado. Porém se alimentam de outras gramíneas que quase nenhum outro animal come como o alecrim-do-campo, o assa-peixe, o capim-favorito e vagens de barbatimão.
Reprodução – não é bicho muito prolífero: o casal tem um filhote por vez, após gestação de 9 meses. O nascimento dos filhotes ocorre quando existe uma maior oferta de alimentos, no fim das enchentes do Pantanal ou após as queimadas naturais, épocas em que ervas, gramíneas e arbustos começam a rebrotar.
Predadores naturais – onça
Ameaças – espécie ameaçada de extinção. Embora protegido por leis, o bicho vai escasseando nos campos brasileiros, onde era tão abundante algumas décadas atraz. O principal motivo não está na deficiência das leis, mas na dificuldade de aplicá-las na repressão à caça clandestina. A febre aftosa (transmitida pelo gado), as queimadas e a perda do habitat natural, decorrente da ocupação agropecuária do Cerrado e Pampas, são outras ameaças à espécie. Ironicamente, muitos fazendeiros culpam o veado pela disseminação da febre aftosa e acabam abatendo o animal para proteger o gado.


VEADO CATINGUEIRO (Mazama gouazoubira)


Características – com armação simples de 9 a 12 cm. É uma das três espécies de pequenos cervídeos existentes no país. C olorido da pelagem uniforme, pardo-escuro, em geral marrom acinzentada . Alcança de 1,0 a 1,4 m de comprimento, 0,70 m de altura e pesa em torno de 23 Kg. A cauda é branca no lado inferior. Atrás dos olhos e nos garrões, possui glândulas de cheiro rudimentares.
Habitat – Pantanal, campos e capoeiras preferencialmente, mas pode ser encontrado nas matas.
Ocorrência – Centro-sul do Brasil
Hábitos – diurno e normalmente solitário. Esperto e caborteiro (traiçoeiro, mentiroso), pois quando caçado costumo correr e voltar pela mesma trilha, deixando os cães embasbacados, sem acharem saída no fim da pista percorrida, ou ainda passa por lugares freqüentados pelo gado, galinhas e animais domésticos, para confundir seu cheiro com o destes animais. São menos sociais que os veados-campeiros,  é  possível

ver grupos de até 3 indivíduos. As disputas de território e fêmeas são realizadas através de combates, onde os adversários utilizam os chifres para perfurar o oponente; a manutenção do chifre por mais tempo, confere ao macho uma maior vantagem competitiva. Pasta também de dia. Muito rápido, capaz de desenvolver boa velocidade quando perseguido. Em fuga atira-se na água nadando muito bem, o que serve para salvar a vida de alguns exemplares da perseguição de seus predadores.
Alimentação – não só de brotos (como o veado-campeiro), mas também de flores e frutos. Nos meses mais secos, existe uma maior oferta de flores e frutos e isto compensa a deficiência natural de gramas e brotos, deste período.
Reprodução – um filhote por cria e este possui manchas brancas formando linhas longitudinais nos lados do corpo. As crias nascem em abril e em dezembro.
Predadores naturais - onças
Ameaças – caça criminosa e destruição do habitat


VEADO MATEIRO (Mazama americana)


Características – é o cervo mais comum das florestas da Amazônia. Enquanto a maioria dos cervos ostenta (pelo menos os machos) chifres vistosos, o macho possui aspas modestas, uma adaptação para a vida dentro da mata densa, onde uma ostentação mais elaborada tornaria difícil a fuga dos predadores. Alcançam 1,10 m de comprimento e pesa até 23 Kg. A troca dos chifres dos machos não apresenta um padrão anual definido. O corpo e os pés são de um marrom- castanha, a cabeça e a garganta cinzento-marrons. A face é lisa. Os jovens são avermelhados com os pontos brancos para os primeiros meses. Conseguem viver por 13 anos.

Habitat – ambientes de vegetação arbórea densa, como as matas e os cerradões. Raramente é avistado fora desses ambientes, dos quais só sai para procurar água.
Ocorrência – América Central e América do Sul, a leste da cordilheira dos Andes e ao norte dos Pampas.
Hábitos - vive solitariamente ou em casais. São ativos durante o dia e a noite.
Alimentação – frutos e flores caídos, mas quando faltam, come também brotos e folhas.
Reprodução – 1 filhote por parto com gestação de 225 dias. Os filhotes nascem ao longo do ano. Alcançam a maturidade sexual após 13 meses.
Predatores naturais – onças
Ameaças - caça e destruição do habitat. É caçado por sua carne e por sua pele; quando perseguido, interna-se nas matas ou atravessa os rios, pois é ótimo nadador.


1 - 2 - 3


Topo