institucional educacao conservacao ecoacao cultura ecoligado

 

MATO GROSSO (Hyphessobrycon eques)

Características – cor geral rosada com nadadeiras vermelhas. A dorsal é negra com margem branca; na anal encontramos extremidade ornada por fina mancha negra. Uma linha vertical negra lhe orna os flancos, por cima das nadadeiras peitorais. A fêmea tem seu corpo menos colorido e maior do que o macho. Atingem no máximo 5 cm.
Origem – Amazônia
Habitat – locais águas com densa vegetação, solo composto por areia fina e a iluminação moderada.
Hábitos - é um peixe agressivo, apesar do seu pequeno porte procura marcar território e é uma espécie que briga entre si. Durante estas disputas, eles acentuam suas cores ao máximo, abrem bem as barbatanas e dançam um em torno do outro como boxeadores, ocasionalmente lançando-se contra o adversário. Vive em cardumes.

Temperatura ideal – 21° a 29°C
pH – 6,6 a 6,8
Alimentação – carnívoro. Insetos, larvas, pequenos crustáceos.
Reprodução – ovíparo. Neste período as fêmeas que poderão desovar estão com o ventre bem mais roliço. A s fêmeas desovam muito raramente, havendo quem diga que somente uma vez na vida. Após 2 ou 3 dias da desova, ocorre a eclosão. Se os ovos não forem devorados pelos pais após a desova, os filhotes se desenvolverão rapidamente.
Predadores naturais – peixes carnívoros maiores, insetos aquáticos, aves, pássaros e anfíbios.
Ameaças – adquire facilmente doenças como fungos e ictio. Destruição do habitat, poluição e pesca predatória.



NEON CARDINAL (Paracheirodon axelrodi)

Características – considerado por especialistas e aquaristas como uma das espécies mais bonitas da região Amazônica, o néon cardinal, também conhecido como tetra cardinal, apresenta um colorido variando entre o azul e vermelho ou verde e vermelho (cores que estão separadas horizontalmente em seu corpo). Sua beleza é excepcional, pois o azul ou verde luminoso cobrem-lhe a parte superior e o vermelho-vivo aparece na camada inferior. É um dos peixes mais  populares nos

aquários comunitários. Espetacular luz emitida pela sua faixa azul quando iluminada, forma uma luminosidade que se assemelha a luz de neon. Esta espécie é frequentemente confundida com o neon verdadeiro (Paracheirodon innesi) que raramente aparecem nas lojas. As diferenças são sutis e relacionadas com a forma das faixas azul e vermelha. As suas riscas azul e encarnada cobrem o corpo da cabeça ao dorso e tornam estes peixes muito atraentes. As diferenças entre o cardinal e o neon verdadeiro é que o segundo é ligeiramente menor e a sua risca encarnada apenas cobre metade do corpo. Atingem até   5 cm e o macho é mais esguio que a fêmea.
Origem – só existe na Bacia do Rio Negro.
Habitat – águas bem vegetadas e sombreadas.
Hábitos – pacíficos, g ostam de formar cardumes, sendo bastante sociáveis.
Temperatura ideal – 24º a 28º C. É muito suscetível a mudanças de temperaturas.
pH – 6,0 a 6,6
Alimentação – omnívoro. A limentam-se de micro-vermes, plâncton e larvas.
Reprodução – a pesar da dificuldade de ser obtida em cativeiro, a reprodução já foi conseguida e com algum sucesso por alguns especialistas, com proles de até 300 peixes por desova. 24 horas após a desova, os ovos tendem a eclodir. A distinção entre macho e fêmea também não é possível. São peixes ovíparos, isto é, dispersam os ovos na água. Os adultos podem devorar os ovos.
Predadores naturais - anfíbios, peixes carnívoros maiores, aves, pássaros, insetos aquáticos e répteis.
Ameaças – é um dos peixes mais desejados pelos aquariofilistas, principalmente pela sua estonteante coloração. Por ser s ua reprodução muito difícil em cativeiro, praticamente todos os exemplares vendidos nas lojas são coletados na natureza e infelizmente milhares deles são exterminados anualmente, o que vem preocupando os especialistas que temem pelo seu desaparecimento das águas amazônicas, o que se deve ao alto índice de exportação desse peixe para os EUA e Europa (tráfico de animais). Poluição e destruição do habitat são outras ameaças.


NEON VERDADEIRO (Paracheirodon innesi)

Características – é um dos peixes mais populares nos aquários comunitários. São muito sociáveis e fáceis de manter. As suas riscas, azul e encarnada, esta última só até meio do corpo, tornam estes peixes muito atraentes. A faixa vermelha na parte debaixo do corpo só vai até a metade dele. Talvez pelo fato do verdadeiro Neon ser raramente encontrado nas lojas brasileiras, o Neon Cardinal tenha pego emprestado o seu nome. Atingem 4 cm de comprimento.
Origem – a fluentes do Alto Amazonas

Habitat – águas bem vegetadas e sombreadas.
Hábitos – gosta de viver em cardumes
Temperatura ideal – 22º a 26º C  
pH – 6,0
Alimentação – omnívoros.
Reprodução – s ão peixes ovíparos, isto é, soltam os ovos na água depositando-os em plantas.
Predadores naturais - anfíbios, peixes carnívoros maiores, aves, pássaros, insetos aquáticos e répteis.
Ameaças – tráfico de animais, coleta predatória, poluição e destruição do habitat.


OLHO DE FOGO (Hemigrammus ocellifer)

Características – atinge no máximo 4,5 cm. Possui formato típico de lambari, com corpo translúcido com reflexos verde-esmeralda no dorso. Logo atrás do opérculo apresenta um pequeno traço preto, que se prolonga até a cauda por um risco verde-claro, terminando numa larga mancha preta. Por cima dessa mancha exibe uma bela pinta vermelha com um ponto branco. As nadadeiras são transparentes. O olho é branco com um traço vermelho-vivo. O macho difere da fêmea pelo corpo mais transparente e mais esguio.
Origem – Amazônia
Habitat – águas bastante vegetadas.

Hábitos - extremamente vivo e ágil com elegantes evoluções. Parece sempre estar de bem com a vida. É muito sociável.
Temperatura ideal – 21° a 29° C
pH - 6,0 e 7,0
Alimentação – omnívoro
Reprodução – ovíparo. Procriam facilmente quando encontram boa alimentação e temperatura de 24°C . Distingue-se o macho por ter, na nadadeira anal, uma pinta branca, sinal também de maturidade sexual. A fêmea deposita seus óvulos que geralmente ficam grudados nas plantas e o macho os fecunda sem muito cuidado. Os fIlhotes nascerão trinta e seis horas depois da postura.
Ameaças – destruição do habitat.


PEIXE FOLHA (Monocirrhus polyacanthus)

Características – atingem 10 cm . Nada mais parecido como uma folha caída na água, amarelada pelo processo de decomposição e sendo arrastada pela fraca correnteza das águas. Parece uma folha morta. Cor varia de minuto a minuto e vai do castanho-claro até o marrom-escuro ou cor de chocolate. Dos olhos saem três linhas radiais; uma indo até o começo da nadadeira dorsal, outra até às ventrais e a última atravessa seu corpo longitudinalmente, até à raiz da cauda. A boca é enorme.
Origem – Rio Amazonas
Habitat – águas calmas e lagoas com boa vegetação.

Hábitos - ficam horas e horas imóveis até que seu almoço passe ao alcance de sua boca. De resto, gostam de se colocar perto das plantas, em posição tal que parecem fazer parte delas. Um de seus passatempos favoritos além de comer, é bocejar, o que faz espetacularmente.
Temperatura ideal – 23° a 32 °C
pH – 5,0 a 6,0
Alimentação – peixes
Reprodução – ovíparo. A fêmea deposita os ovos na parte inferior das folhas e o macho imediatamente os fertiliza e abana com suas nadadeiras. A postura pode durar 2 a 5 horas e compreende em média 300 a 600 ovos. Os ovos são pequenos, amarelados e adesivos. Três dias depois nascem os alevinos, que ficam aderidos à folha por um pequeno filamento. Não se parecem em nada com os pais.
Ameaças – destruição do habitat e pesca predatória.


PIRATANTÃ (Copella arnoldi)

Características – o macho atinge 7,5 cm , enquanto a fêmea 6 cm . Extremamente bonito e elegante com uma das mais belas colorações. O dorso é marrom, os flancos azulados e o ventre amarelo. Todas as escamas têm um bordo escuro. As nadadeiras são amarelas e vermelhas, tendo a dorsal a ponta preta. O macho tem uma mancha branca na base da nadadeira dorsal, mais cor preta espalhada pelas nadadeiras dorsal e caudal, que são maiores que as de sua companheira.
Origem – Amazonas

Habitat – habita o estrato superior das águas com boa vegetação flutuante ou emergente nas margens dos rios.
Hábitos - exímios saltadores
Temperatura ideal – 22° a 29° C
pH – 6,8 a 7,0
Alimentação – omnivoro com preferência por pequenas presas vivas.
Reprodução – desova nas folhas de plantas que se debruçam sobre o rio. Quando chega o momento da desova, o casal pula fora da água, unido pelas nadadeiras, colando-se por alguns segundos às folhas. A fêmea deposita uma massa gelatinosa de ovos, imediatamente fecundados pelo macho. Essa operação se repete dez ou doze vezes, até que aproximadamente uma centena de ovos seja colada, sem nenhum sobreposto ao outro. Se os ovos caírem na água, gorarão. Têm que ser mantidos úmidos, encarregando-se o macho dessa tarefa, aspergindo-os cada quinze ou vinte segundos, dando para isso violentas rabanadas na água. Setenta e duas horas depois nascem os filhotes, que vão caindo na água.
Ameaças – destruição do habitat


QUILODOS (Chilodus punctatus)

Características – atingem 8 cm. Tem o aspecto geral dos caracídeos. Suas grandes escamas têm, na base, um ponto sépia. Seu corpo é atravessado longitudinalmente por uma lista escura, contrastando com sua cor geral ocre-amarelado.
Origem – Guianas e Rio Amazonas
Habitat – rios e lagos
Hábitos - peixe curioso pelo seu modo de nadar sempre em ângulo, de cabeça para baixo, talvez mergulhado em profunda meditação.

Temperatura ideal – 24° a 29° C
pH – 6,0 a 7,0
Alimentação – omnivoro
Reprodução – ovíparo
Ameaças – destruição do habitat


RODOSTOMO (Hemigrammus rhodostomus)

Características – atinge 4 cm. Possui um prateado vivo no corpo, a cauda listrada em branco e preto e o vermelho acentuado na cabeça. A coloração some sempre que eles estão dormindo ou descansando (à noite).
Origem – Região Amazônica
Habitat – rios
Hábitos - pacífico, peixe de cardume, de movimentos rápidos e elegantes.
Temperatura ideal – 22º a 28º C
pH - 6,8 a 7,0

Alimentação – omnivoro
Reprodução – ovíparo. Os ovos ficam depositados entre as raízes e pequenas folhas de plantas. Após um período de incubação, que vai de 2 a 3 dias, surgem os filhotes. Durante os primeiros dias de vida, os alevinos irão alimentar-se dos próprios nutrientes que o habitat oferece (plâncton).
Ameaças – destruição do habitat


ROSÁCEO (Hyphessobrycon erythrostigma)

Características – atinge 8 cm. Apresenta uma mancha vermelha no corpo e uma faixa de rosa intenso que se estende por toda o corpo (linha lateral), mais visível a partir do "coração". O macho é maior que a fêmea, possui a nadadeira dorsal um pouco maior e mais afilada - forma de foice - que a da fêmea. A nadadeira anal pode apresentar um gancho, sendo bem desenvolvida, mas é difícil diferenciar os sexos por este detalhe. Apesar de chamado rosáceo, este peixe fica com um forte colorido marrom (bem escuro) com reflexos rosas pelo corpo. Este rosa é mais visível no macho, que tem um colorido de dar inveja nas fêmeas.

Origem – Bacia Amazônica
Habitat – rios com águas bem iluminadas
Hábitos – peixe de cardume, muito ativo.
Temperatura ideal – 22º e 26º C
pH - 6,0 a 7,0
Alimentação – omnivoro
Reprodução – ovíparo
Ameaças – destruição do habitat


TETRA (Hasemania nana)

Características – peixe muito bonito também conhecido como tetra silver tipped. As fêmeas são ligeiramente maiores, mais claras e mais arredondadas que os machos que são bem amarelos, da cor de ouro. Atinge 5 cm de comprimento.
Origem – Sudeste do Brasil
Habitat – águas claras, límpidas, com bastante vegetação e correnteza.
Hábitos – pacífico, gregário e ativo.
Temperatura ideal – 22º a 28° C

pH - 6,8 a 7,0
Alimentação – omnívoro.
Reprodução – os pais não cuidam dos ovos nem dos filhotes, podendo devora-los quando bem pequenos. A desova ocorre entre as plantas. Quando os filhotes atingem 0,5 cm , já são respeitados pelos adultos, nadando livremente. Os alevinos se escondem nas plantas, mas com uma semana, já convivem com os adultos.
Ameaças – destruição do habitat


TETRA AMARELO (Hyphessobrycon bifasciatus)

Características – é um peixe muito bonito. Cresce mais rápido que os demais tetras. As nadadeiras peitorais são finas e compridas. O colorido varia muito, do prateado puro e simples, passando pelo prateado com as nadadeiras amareladas (que não chega a ficar opaca), chegando ao corpo amarelado e as nadadeiras amareladas. As cores ficam mais intensas com o tempo, sobressaindo as listras pretas que tem no corpo. Atinge 6 cm de comprimento.
Origem – Sudeste do Brasil
Habitat – prezam muito a qualidade da água. Vivem em rios e pequenos afluentes ricos em vegetação aquática.

Hábitos - pacíficos, de ótimo temperamento, um pouco agitados, bem espertos, porém nada agressivos com outros peixes. Costumam ficar em baixo de plantas aquáticas.
Temperatura ideal – 26° a 27º C
pH - 6.9
Alimentação – zooplancton e larvas.
Reprodução – reproduz-se bem nas condições apropriadas, mas facilmente devora os ovos que espalha. Uma densa vegetação (incluindo plantas flutuantes) pode esconder alguns filhotes. Distinção dos sexos através do gancho caracídeo. Os ovos são semiadesivos. A desova ocorre, regra geral, à noite e os ovos são muito pequenos.
Ameaças – destruição do habitat.


TETRA BLACK PHANTOM (Megalamphodus megalopterus)

Características – é um caracídeo muito elegante, que atinge 4 cm de comprimento. Apresenta diferença significativa entre machos e fêmeas. Enquanto o macho tem barbatanas muito distintas e cores negras, a fêmea é avermelhada e pode facilmente ser confundida com outras espécies como o Matogrosso.
Origem – Rio São Francisco, Brasil.
Habitat – cabeceiras do rio com águas bem vegetadas.
Hábitos - pacífico e vivaz. Vivem em cardumes.
Temperatura ideal – 25° C
pH – 6,5
Alimentação – zooplancton e larvas.
Reprodução – de fácil reprodução.
Ameaças – destruição do habitat.



TETRA BUENOS AIRES (Hemigrammus caudovittatus)

Características – é um peixe bonito e muito resistente. Cresce mais do que outros tetras, chegando a 10 cm de comprimento. Barbatanas e cauda muito vermelhas e também possuem os olhos vermelhos. O corpo da fêmea é mais arredondado que o do macho.
Origem – Argentina, Paraguai e Brasil.
Habitat – vive bem em quase todo tipo de água.
Hábitos – pacífico, muito ativo, voraz e sempre irrequieto.
Temperatura ideal – 18º a 28°C
pH – 6,9
Alimentação – zooplancton e plantas.
Reprodução – fácil reprodução.
Ameaças – destruição do habitat.



TETRA LIMÃO (Hyphessobrycon pulchripinnis)

Características – da família dos Caracídeos possui coloração variando entre o verde escuro e um tom mais amarelado. Na altura da espinha e linha lateral possui uma faixa dourada de brilho intenso, que se realça na época de reprodução. Os machos possuem um pequeno anzol na nadadeira anal que só é notado com esta nadadeira em descanso. Se o peixe estiver com as mesmas ativas, fica praticamente impossível visualizá-lo. Esta nadadeira apresenta um contorno preto bem espesso e de coloração forte. As fêmeas são mais roliças, não têm o gancho e são notadamente de coloração mais fraca que os machos. Atinge 5 cm de comprimento.

Origem – Brasil Central, bacia do Tocantins.
Habitat – águas bem vegetadas e com pouca luminosidade.
Hábitos - pacífico, vive em cardumes.
Temperatura ideal – 23º a 25º C
pH – 5,5 a 7,0
Alimentação – omnívoro
Reprodução – ovíparos. Os ovos são semiadesivos e eclodem cerca de 36 horas após a postura e os alevinos começam a nadar 5 dias após o nascimento.
Ameaças – destruição do habitat.

TETRA NEGRO (Gymnocorymbus ternetzi)

Características – possui aspecto geral de um lambari, com o corpo dividido em duas zonas de coloração bem distintas. A parte posterior é de bela cor preta aveludada e a anterior prateada com duas barras verticais pretas. As barbatanas dorsal, anal e adiposa são pretas, as outras transparentes. O macho difere-se da fêmea por apre4sentar nadadeira dorsal mais pontiaguda, num formato triangular. Atinge 7 cm de comprimento.
Origem – Paraguai e Brasil no estado de Mato Grosso.
Habitat – vive em águas rasas bem vegetadas.
Hábitos - é de extrema vivacidade, extremamente rápidos, insaciáveis e pacíficos.
Temperatura ideal – 21° a 28° C
pH – 6,8 a 7,0
Alimentação – omnívoro
Reprodução – ovíparo. C om um cortejo prolongado, a fêmea libera os óvulos nas plantas e o macho os fecunda quase que no mesmo momento. A eclosão ocorre depois de 24 a 28 horas e os alevinos se alimentaram com seu saco vitelino pôr 3 dias, antes de obter natação livre.
Ameaças – destruição do habitat.



TETRA NEON NEGRO (Hyphessobrycon herbertaxelrodi)

Características – atinge 5 cm de comprimento. Os machos são mais finos e um pouco mais coloridos que as fêmeas.
Origem – estado de Mato Grosso (Brasil).
Habitat – águas rasas
Hábitos – são pacíficos, calmos, têm nado gracioso e vivem em cardumes.
Temperatura ideal – 22° a 26º C
pH - 6,6 a 6,8
Alimentação – omnívoro
Reprodução – ovíparo
Ameaças – destruição do habitat



TETRA RISCA NEGRA (Hyphessobrycon scholzei)

Características – atinge 5 cm de comprimento.
Origem – Amazônia
Habitat – águas límpidas e com vegetação densa.
Hábitos – calmo e pacífico.
Temperatura ideal – 22º a 25º C
pH – 6,8
Alimentação – omnívoro
Ameaças – destruição do habitat.



ZEPELIM (Nannostomus trifasciatus)

Características – também conhecido por peixe lápis de três faixas. As nadadeiras pélvicas são azuladas. De dia, apresentam três linhas pretas horizontais. O dorso possui um tom verde-oliva acinzentado, que começa na cabeça e vai até a nadadeira caudal. Completando seu colorido, uma linha horizontal amarela parte do olho prolongando-se até a base de cauda. À noite, quando estão dormindo na superfície, trocam esse padrão por duas ou três listras grossas verticais. Atinge 6 cm de comprimento.

Origem – Bacia Amazônica
Habitat – águas escuras do Rio Negro, é comum em regiões nas quais o fundo do rio é quase totalmente coberto com Vallisnerias, formando densas "florestas" submersas alternadas por áreas de areia muito fina sem vegetação.
Hábitos - são muito ativos, pacíficos e nadam em cardumes deslizando na água com o corpo bem reto.
Temperatura ideal – 22º a 30°C
pH - 6,8
Alimentação – gostam de mordiscar folhas e troncos.
Reprodução – ovíparos. Q uando estão acasalando, macho e fêmea nadam lado a lado, encostados um no outro, agitando o corpo de um lado para o outro. Após o característico “ritual do amor”, a fêmea deposita os ovos (cerca de 50 a 80 por desova), espalhando-os sobre as plantas flutuantes. Eles ficam aí grudados (são aderentes) durante 4 dias, quando então se dá a eclosão. O processo da reprodução é semelhante ao dos demais caracídeos, isto é, assim que a fêmea expele os ovos, o macho os fertiliza.
Ameaças – captura indiscriminada e destruição do habitat


ZEPELIM DE UMA FAIXA (Nannostomus unifasciatus)

Características – atinge 5 cm de comprimento com coloração geral oliva-claro, com uma linha preta horizontal que se estende da ponta do nariz à base da cauda, continuando para o lado inferior da nadadeira caudal em pinceladas vermelhas, brancas e pretas. As outras nadadeiras são olivas como o resto do corpo.
Origem – Bacia Amazônica
Habitat – rios sem correntezas bem vegetados.
Hábitos – muito vagarosos. A posição inclinada a 45º para cima é uma das características marcantes desta espécie.
Temperatura ideal – 21º a 28º C
pH – 5,2 a 7,0
Alimentação – omnivoro
Reprodução – ovíparo. Deposita os ovos em rodilhas de desova ou maciços de plantas de folhas finas. M acho e fêmea nadam lado a lado, roçando seus corpos como um ballet, a fêmea deposita os ovos (cerca de 50 a 80 por desova), espalhando-os sobre as plantas flutuantes. Eles ficam aí grudados (são aderentes) durante 4 dias, quando então se dá a eclosão. O processo da reprodução é semelhante ao dos demais caracídeos, isto é, assim que a fêmea expele os ovos, o macho os fertiliza.
Ameaças – captura indiscriminada e destruição do habitat



1 - 2


Topo