institucional educacao conservacao ecoacao cultura ecoligado


CONSIDERAÇÕES SOBRE OS TUBARÕES


ESTATÍSTICAS DE ATAQUES DE TUBARÕES A PESSOAS


Quando pensamos em tubarões, é inevitável não pensar que podemos ser atacados por essas criaturas, além da idéia de que constituímos parte fundamental de sua alimentação. A verdade é que estes animais parecem sentir pouco interesse por "gente" e, de fato, o ser humano não é um prato comum na dieta do tubarão. A possibilidade de morrer fulminado por um raio ou num acidente de automóveis é muito maior do que ser atacado por um tubarão.

Atualmente são registrados menos de 100 ataques por ano, e levando em conta as milhões de pessoas que se banham ou mergulham no oceano, este número é significativamente baixo.

Os motivos do ataque Diversas razões são atribuídas aos inúmeros ataques de tubarões:

- A maioria não tem boa visão e, no lugar onde ocorrem a maioria dos ataques (próximo à margem), a água é escura por causa do sedimento agitado pelas ondas.

- Alguns tubarões são muito dóceis, e algumas pessoas foram mordidas porque trataram de agarrar ou tocar nele.

- A semelhança entre os banhistas em balsas ou pranchas de surf com leões marinhos, focas ou tartarugas do mar é incrível. Os mergulhadores, com trajes de borracha e barbatanas, também têm o aspecto das criaturas marinhas que formam a dieta habitual do tubarão.

tubarao

remo


ataque

 

barbatana

As estatísticas documentadas

- 31% dos ataques foram entre a costa e os 15 m , 11% entre os 15 e 30 m da costa, e 6% entre os 30 e 45 m , 3% entre 45 e 60 m , 37% entre 60 e 1600 m e o restante 22% em mar aberto.

- A proporção de ataques em relação ao sexo é e 15 a 1 a favor dos homens.

- 62% dos ataques ocorreram em águas com menos de 1,5 m de profundidade.

- Geralmente os ataques mais comuns são nos braços, mãos e pernas.

- 70% dos ataques foram entre as 10:00 horas e 15:00 horas.

- Do total dos casos, 27% foram registrados na Austrália, 19% nos Estados Unidos, 12% em ilhas do pacífico, 8% na África do Sul e 34% no resto do mundo.

Os tipos de ataque

Ataques provocados - são causados quando se tenta tocar um tubarão.

Ataques espontâneos - acontecem quando o tubarão atua primeiro, e podem ocorrer de três maneiras:



    

- Ataque e fuga - ocorre próximo às raias, onde os tubarões tentam capturar peixes vivos, s ão os ataques mais freqüentes. O tubarão ataca, deixa a vítima e abandona o local. Os ataques costumam incluir as pernas e pés, resultando em feridas leves, que em poucos casos chegam a ser mortais.

- Ataque furtivo - acontecem em águas profundas. A vítima não chega a ver o tubarão antes do ataque. Podem causar feridas graves e inclusive a morte, se o tubarão voltar a atacar.

- Golpe e mordida - ocorrem quando o tubarão rodeia a vítima descrevendo uma trajetória circular, atacando com sua cabeça ou corpo antes de morder. Como no ataque furtivo, o tubarão pode atacar repetidas vezes a vítima e causar feridas muito graves ou mortais.

      


O risco de ser atacado por um tubarão

- As mortes por descargas elétricas de raios em 23 estados da América do Norte entre 1959 e 1994 é de uma média de 45 por ano, enquanto que por tubarões não chegam a 0,5 ao ano.

- Uma comparação das mortes provocadas por tornados no estado da Florida entre 1984 e 1999 mostra uma vantagem sobre os tubarões de 69 a 2.

- Entre 1990 e 2001 houve 9.361 acidentes fatais de bicicleta nos Estados Unidos contra somente 8 protagonizados por tubarões.

- Durante a década de 90 ocorreram uma média de 130 mortes por ano em acidentes automobilísticos contra cervos ou veados, 18 por ataques de cachorros, 15 por mordidas de cobra e somente 0,4 por ataques de tubarões.

- As estatísticas em 6 estados americanos mostram que entre 365 ataques de crocodilos, 13 vítimas foram fatais enquanto que entre 503 ataques de tubarões só foram registradas 8 mortes.


tubarao salto tubarao atacar

Como prevenir ataques de tubarão?

1. Não nadar sozinho. Os tubarões não costumam atacar grupos de pessoas, mas sim indivíduos sós. Sempre aproveitam a oportunidade.

2. Evitar se banhar ao amanhecer, e ao entardecer/noite. Durante essas horas, muitos tubarões costumam ser mais ativos. Podem nos localizar mais facilmente.

3. Não ir muito para o fundo. Desta forma nos isolamos e nos distanciamos de uma possível assistência.

4. Não entrar na água com feridas de sangue. O bom olfato dos tubarões lhes permite cheirar o sangue e seguir o rastro até sua origem.

5. Não usar jóias brilhantes. A luz que refletem pode parecer muito com as escamas reluzentes de uma possível presa.

6. Evitar águas onde há pesca, ou onde sabe-se que há atividade predadora. As gaivotas e outras aves em ação são um bom alarme de perigo.

7. Não nadar em águas com algas. Estas atraem os peixes pequenos, que por sua vez atraem os tubarões.

8. Não entrar na água se foram detectados tubarões.

9. Evitar se banhar com roupa reluzente ou em águas pouco claras. Apesar de não ter boa visão, o tubarão tem a facilidade de perceber muito bem os contrastes.

10. Não agite muito. Os movimentos erráticos, especialmente com as pernas, podem atrair tubarões. Mantenha seus animais de estimação longe d'água.

11. Ter precaução próximo a bancos de areia ou quedas bruscas. Estes costumam ser os refúgios favoritos para os tubarões, quando avistam suas presas.

12. Se for atacado por um tubarão: a regra geral é "faça o que seja para se afastar dele". Normalmente é preferível reagir e fazer com que ele pense que você não é uma presa mas sim uma ameaça.



E se vai mergulhar com tubarões, estas podem ser umas recomendações úteis.

1. Preparação - realizar algum estudo sobre o tipo de tubarão a ser observado, sua conduta e sua quantidade.

2. Seja educado - lLembre-se que você está entrando num mundo que pertence aos tubarões. Deixe que eles o cerquem e em nenhum momento vá atrás deles, pois irão reagir como qualquer animal que se sente ameaçado.

3. Evite olhar diretamente - os tubarões não gostam de ser encarados de forma direta. Por isso recomenda-se olhar com o rabo dos olhos, mas sem perdê-los de vista.

4. Fique quieto - quando estiver com o tubarão, trate de se transformar em parte inofensiva do terreno. Evite os movimentos bruscos, pois eles podem se assustar e atacar em defesa.

5. Mantenha uma posição horizontal - os tubarões parecem se assustar mais com a altura do que com a largura, por isso mantenha-se agachado ou flutuando durante os encontros.

6. Não é bom se amontoar - devido a sua capacidade para ver contrastes, às vezes os tubarões veêm os grupos como um único organismo ameaçador, por isso é melhor estar em grupos pequenos.

7. Não alimente os tubarões - não utilize carnes, pois pode provocar uma concorrência sangrenta pela comida entre vários deles e transformar em segundos uma experiência interessante numa situação de alto risco.
mergulho

dive  tubaroes


Topo